top of page

Migração para nuvem: como fazer uma transição bem-sucedida

A migração para nuvem tem se tornado uma tendência cada vez mais comum para empresas de todos os tipos e tamanhos. A possibilidade de aproveitar os benefícios de escalabilidade, flexibilidade e redução de custos oferecidos pela nuvem é irresistível. No entanto, essa migração requer um planejamento adequado e a adoção de boas práticas para garantir uma transição tranquila e bem-sucedida, onde usuários e clientes não percebam que toda a sua infraestrutura mudou. Neste artigo, vamos explorar as melhores práticas e algumas considerações importantes que devem ser seguidas para que as empresas possam obter sucesso em suas migrações para a nuvem.


Mas afinal, o que é migrar para a nuvem?


A migração para nuvem possibilita o uso remoto, via internet, de diversos recursos computacionais como softwares, aplicativos e outros. Dessa maneira, as aplicações de uma empresa podem ser acessadas a qualquer hora e de qualquer lugar por pessoas e sistemas autorizados. Na prática, isso reduz o gasto da companhia com equipamentos físicos (computadores, servidores e climatizadores) e também gera economia em relação ao próprio espaço, dispensando a necessidade de um local para um centro de dados.


Resumindo, sua empresa deixa de ter gastos fixos com a infraestrutura e começa ter gastos variáveis pagando somente pelo recurso que estiver utilizando. Além disso, a nuvem garante uma ótima escalabilidade, gerindo recursos de forma rápida e fácil. E também oferece flexibilidade para que as empresas testem diferentes soluções e tecnologias, permitindo uma adequação às mudanças do mercado.


Etapas para realizar uma migração para a nuvem


Para migrar uma aplicação ou toda uma plataforma com sucesso para a nuvem são necessárias várias etapas diferentes. E cada uma delas vai precisar ser tratada com cuidado:


Avaliação e planejamento: Antes mesmo de iniciar a migração, você precisa avaliar as necessidades e objetivos do negócio. Ou seja, identifique quais aplicações ou dados serão migrados, e escolha qual nuvem melhor irá se adequar a empresa ou até mesmo qual melhor se encaixa financeiramente dentro do orçamento.


Migração de dados: A transferência de dados para a nuvem é uma etapa crítica e deve ser planejada com muita atenção. É importante garantir que os dados sejam migrados com segurança e integridade. Dependendo do tamanho e complexidade dos dados, pode ser que seja necessário utilizar ou criar ferramentas e serviços especializados para tal.


Adaptação das aplicações: As aplicações já existentes podem precisar de uma modificação para que continuem funcionando corretamente na nuvem. Por isso, é essencial pensar em questões como compatibilidade de recursos, dependências e até melhoria no desempenho. Dependendo da situação, é mais aconselhável reescrever a aplicação para que ela aproveite ao máximo todos os recursos que a nuvem pode oferecer.


Teste e validação: Após realizar a migração, seja ela completa ou dividida em partes, é crucial realizar testes completos para garantir que todas as funcionalidades estejam corretas. Para isso, realize testes de integração, performance e segurança para identificar possíveis problemas e garantir a estabilidade da aplicação em nuvem.


Monitoramento e otimização: Ao finalizar a migração, é necessário um monitoramento continuo da aplicação, seja gerando alertas para determinadas situações ou com acompanhamento via dashboard. A otimização contínua permite identificar pontos de melhorias e possíveis gargalos, além de aprimorar a eficiência da aplicação.


Melhores práticas para ter uma migração bem-sucedida


Para garantir que uma migração seja realizada com sucesso é necessário adotar algumas medidas. Assim, é possível minimizar os riscos ou prever possíveis problemas. Por isso, confira algumas dessas práticas recomendadas:


Planejamento adequado: Ter um planejamento detalhado, com uma análise de custo-benefício, uma estratégia de migração clara e com uma linha de tempo realista, é muito importante para evitar atrasos e problemas durante o processo de migração.


Foco na segurança: A segurança dos dados e das aplicações deve ser uma prioridade para a empresa. Afinal, é crucial implementar medidas de segurança robustas, como criptografia, controle de acesso e manter um monitoramento constante para proteger as informações confidenciais.


Escolher a plataforma certa: Cada provedor de nuvem possui particularidades e serviços diferentes. Por isso, é importante saber o que o seu negócio precisa para que você possa escolher o provedor de nuvem que melhor se adequa às suas necessidades. E isso sempre levando em consideração fatores como requisitos de segurança, custo, escalabilidade e, claro, suporte técnico.


Abordagem incremental: A migração incremental, em que a empresa vai migrando as aplicações em partes, permite minimizar os riscos e impactos do funcionamento do negócio. Ou seja, começar com aplicações menores e menos críticas e ir expandindo gradualmente é uma estratégia recomendada.


Hora da migração


Muito bem, agora você já sabe que a migração para a nuvem pode trazer inúmeros benefícios para a sua empresa, mas ela requer um planejamento detalhado e cuidadoso, além da adoção das melhoras práticas do mercado. Tudo isso vai contribuir para uma transição tranquila e bem-sucedida para a nuvem.


Artigo originalmente publicado em Blog Impulso


Comments


bottom of page